segunda-feira, 27 de junho de 2011

Exercício da prática docente como campo de pesquisa - uma reflexão sobre o Projeto Arquitetonico III


1- O que se deseja tematizar ?

Trabalho em uma disciplina do Curso de Arquitetura e Urbanismo que esta inserida no que designamos de tronco de Projeto Arquitetônico, que se chamava Projeto Arquitetonico IV e com a nossa reforma curricular mantém o mesmo tema objeto de exercício, mas em função de mudança de nomenclaturas passa agora a designar se Projeto Arquitetonico III. Entre as modificações diversas do novo currículo, as disciplinas de projeto arquitetônico e projeto urbanístico passam agora a ser ministradas com 8 créditos, anteriormente possuíam 6 créditos.        
Esta disciplina como todas da área de projeto é desenvolvida com a metodologia de aplicação prática na reflexão sobre a ação mediada, de projeto a ser desenvolvido pelo aluno que é a base de exercício do semestre. Sobre o qual o  professor no decorrer do desenvolvimento do exercício vai assessorando os alunos e apresentando os conteúdos necessários para o aprendizado do aluno, em um grau crescente de dificuldades que lhes são apresentadas ao longo dos vários projetos que o currículo do curso apresenta, em um total de nove, se contabilizarmos em conjunto os arquitetônicos e urbanísticos.


2 – Qual é a inquietude ?

Como o trabalho, e produto das etapas e o final, é a apresentação de um projeto arquitetônico há uma tendência natural do aluno se debruçar com grande intensidade na solução rápida das diretrizes conceituais que nortearão o seu projeto e partir para o desenvolvimento do mesmo, com a grande preocupação orientada para o produto em forma das pranchas da apresentação gráfica do seu projeto, que são o produto visivel e resultado final do processo sobre o qual será avaliado. Uma visão por vezes abreviada e com caráter excessivamente objetiva e tarefeira, o que não contribui para uma visão de aproveitamento de oportunidade de aprofundamento do aprendizado, que otimizaria a reflexão critica sobre o fazer proposto. Contribuiu sempre para isto a reduzida jornada da disciplina para tão grande tarefa proposta, e os 6 créditos sempre foram escassos para o acompanhamento dos alunos que necessitam em muito os assessoramentos individuais, contarei agora a partir do próximo semestre com a possibilidade ampliada pelo no currículo de aumentar a interação entre professor a aluno com os créditos ampliados.
Possuímos no currículo do curso disciplinas de Teoria e História que se propõe a capacitar o aluno na direção do conhecimento da história da arquitetura e da reflexão teórica do fazer arquitetura. Bem como diversas disciplinas de caráter tecnológico, apoiando o aluno no necessário conhecimento das técnicas construtivas. No entanto nas disciplinas de projeto é que praticamos o fazer arquitetura em exercícios de projeto, e é nesta hora que me preocupa a fragil reflexão dos alunos no desenvolvimento de suas tarefas, na definição das suas diretrizes projetuais e discussão fundamentada sobre as suas propostas. Apresentando conhecimento de método e embasamento no seu desenvolvimento e produto final.


3 – Qual é a idéia ?

Desta forma penso em criar recursos no programa da disciplina a fim de otimizar e provocar a reflexão teórica e a descrição textual dos conceitos pretendidos no desenvolvimento dos seus projetos. Estes recursos iriam desde a leitura e reflexão realizada sobre textos de apoio ao fazer arquitetônico, inseridos em etapas fundamentais do desenvolvimento do projeto; como a etapa da escolha de referenciais, imagem prévia, estudo preliminar, anteprojeto e projeto base. Bem como a possibilidade de utilização de um blog da disciplina em que a partir de textos apresentados os alunos participariam realizando postagens individuais.
O uso da expressão escrita pelos alunos da arquitetura deve ser otimizada e cobrada nas várias disciplinas. Nesta disciplina de projeto a descrição dos conceitos utilizados, diretrizes, referenciais, bem como toda a reflexão no desenvolvimento deve ter registro teórico em forma de escrita, bem como pode ser acompanha por croquis de registro de idéias e conceitos. A escrita e o registro do processo de desenvolvimento obriga ao aprofundamento da reflexão e a otimiza, qualificando assim a qualidade do processo de aprendizado.


4 – Qual é o roteiro ?

            Desenvolvi abaixo um primeiro roteiro a ser aplicado no próximo semestre quando irei ministrar a disciplina no novo currículo, faço algumas inserções de utilização de textos no programa da disciplina. Além destas inserções, no primeiro dia de aula também apresento o novo parceiro da turma, o blog da disciplina, que acompanhara com conteúdos de apoios teóricos o desenvolvimento das aulas praticas, provocando a interação dos alunos com postagens sobre cada texto e tema apresentado.
            A cada leitura de texto proposta os alunos deverão postar suas opiniões no blog bem como preparar roteiro para as discussões em aula.
            As definições conceituais de projeto deverão ter registro de processo escrito.
            A disciplina é baseada no fazer. È essencialmente prática como descrevem  Donald Schon e Reuven Feuerstein, pois esta baseada no trabalho sobre a reflexão na ação e na condução mediada pelo professor-orientador. A interação entre os alunos, e entre alunos e professor é uma constante na troca de informações técnicas, e discussão de conceitos com os assessoramentos sobre os trabalhos em desenvolvimento. Mas com o roteiro se procura otimizar e formatar alguns momentos chave do programa da disciplina otimizando a interação entre as partes.
Com as leituras dirigidas sobre temas específicos se conduz a interação dos alunos e professor-orientador com foco orientado, conduzindo as discussões em sala de aula após leituras prévias realizadas pelos alunos em casa a partir do material postado já no blog. Discutindo em conjunto aspectos importantes que deverão ser levados em conta na definição de diretrizes de determinada etapa projetual. Relacionando os pontos mais importantes a serem levados em consideração na reflexão na ação da etapa. Com a interação dirigida em sala de aula procura se chamar a atenção da importância da reflexão coletiva e das definições individuais de cada aluno sobre o seu repertório de conhecimento já adquirido. O resultado da interação e reflexão coletiva de sala de aula deverá ser individualizado pelo aluno com a postagem de seus conceitos resultantes no blog coletivo, com suas diretrizes de desenvolvimento para o seu trabalho na etapa que se inicia. Ao final da etapa pode se ainda no momento da apresentação do painel com os resultados da proposta, comparar o que foi alcançado se corresponde as expectativas das diretrizes inicialmente traçadas e quais os aspectos que tiveram que ser ou deverão ser realinhados no processo. Gerando assim uma maior reflexão na ação do aluno sobre o seu produto, reduzindo a ação simplesmente tarefeira que aborta o processo reflexivo e perde oportunidades reais de aprimoramento do aprendizado.


4 – Aplicação

Pretendo ainda otimizar a proposta antes da sua aplicação no próximo semestre em que ministrarei a disciplina (2012-02), com a escolha de mais textos adequados as etapas seguintes ainda não contempladas com etapas de discussão teórica e oportunização de expressão textual pelos alunos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário